quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Nova série 'Dúvidas Frequentes': Influência do nível de inglês no Work and Travel

Oi pessoal!!! Como o Leandro tinha comentado no último post vamos começar uma nova série falando das dúvidas mais freqüentes que pudemos observar nesses 15 dias de blog. Quero aproveitar e agradecer mais uma vez a vocês todos que, com a participação constante, fazem o conteúdo do blog ficar mais rico!!!

Pra iniciar vamos falar de algo que deixa muita gente intrigada: o nível de inglês. Isso é uma preocupação constante do pessoal que ainda não pisou em terras americanas, por não saber exatamente o que vai encontrar por lá. Não podemos esquecer que um dos objetivos do programa é aperfeiçoar a língua inglesa e para a maioria (sim eu disse maioria) ter o primeiro contato. Se você está com medo de ir por não ter um nível elevado pode arrumar suas malas agora se quiser porque isso é muito mais comum do que você imagina. Tem gente que mora lá há anos e não sabe meia palavra em inglês e sobrevive numa boa. Por ser um país onde todos os cidadãos do mundo vão para passear, trabalhar, estudar, ou qualquer outra coisa, os nativos, geralmente (falo assim porque sempre tem exceções), entendem a sua dificuldade e serão solícitos em ajudar.

Não posso negar que quem tem um nível mais avançado consegue posições melhores, que pagam mais. Quando você não tem o inglês suficiente para conversação você, provavelmente, vai ser camareiro, responsável por estoque, essas posições que não exigem o contato com o público, mas que ao final das contas valem muito a pena, porque durante esse período os prós superam infinitamente os contras.

Uma sugestão que eu daria a vocês, que ainda dá tempo, é fazer algumas aulas de inglês antes do embarque para não ficar tão perdido, principalmente em questões mais básicas como pedir informações, saber se locomover e essas coisas assim. Fome você não passa porque em qualquer esquina tem um Mc Donalds que você consegue apontar o que quer Hehe. Mais uma vez então pessoal, se o medo de vocês for esse, não deixem de aproveitar uma experiência tão maravilhosa como essa. Você pode até não sair do Brasil falando nada em inglês mas com certeza quando voltar essa realidade vai ter mudado!!! Até o post de amanhã.

Antônia

25 comentários:

  1. Olá, Antônia!
    Eu me formei em inglês após 7 (looongos hehe) anos de curso. Apesar disso, tive poucas oportunidades de conversar com pessoas que só falavam inglês. Por isso, gostaria de um emprego em que eu pudesse praticar bastante. No final do ano, vou fazer a prova do FCE. Esse certificado pode me garantir um emprego como eu gostaria?
    Quanto a ler e escrever em inglês eu tenho bastante facilidade e pratico diariamente. Isso faz alguma diferença?

    ResponderExcluir
  2. Pessoal, queria saber com que agencia vocês dois foram, se foram de independent...
    Como é o teste de inglês que eles aplicam?
    Aproveitando o comentário acima, eu nunca cheguei a fazer esses testes de diploma, mas fiz um teste pra saber qual seria o ideal pra mim e o resultado foi o CPE (Certificate Of Proficiency In English). Pra esse nivel de inglês que tipo de emprego posso pegar?

    ResponderExcluir
  3. Amanda,

    Seu certificado pode comprovar alguma coisa sobre sua fluência do idioma, mas ninguém vai te prometer algum tipo de trabalho somente por conta do certificado.

    Sobre o nível de inglês, em reunião em SP, o consulado americano divulgou que a partir deste ano TODAS as entrevistas para vistos J1 serão conduzidas 100% em língua inglesa e os candidatos que não possuírem inglês adequado (intermediário) poderão ter visto negado por falta de fluência na língua.

    Abs,

    ResponderExcluir
  4. Ola, Antonia! Adoreiii o blog com tantas dicas. Quero fazer travel work esse dez a jan, mas estou com muitas duvidas.
    Quero saber se da p/ se sustentar la sem pedir dinheiro p/ os pais e se vou conseguir me virar na hora de chegar no aeroporto essas coisas com um nivel de ingles intermediario. obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Leandro F. Weigmann20 de agosto de 2009 17:38

    Respondido e muito bem respondido pelo meu xará acima. Já vi gente sem certificado superar pessoas que estudaram anos inglês. O importante além de saber se comunicar é claro, é ter proatividade, iniciativa e ir atrás das oportunidades. Conheci duas pessoas que trabalhavam no mesmo hotel, perto da estaçao de esqui onde eu trabalhava, um era fluente e o outro tinha ingles intermediario. O que tinha ingles menos avançado era totalmente ativo, prestativo e ganhanva muita gorjeta por isso, enquanto o outro não se esforçava tanto como ele, precisa falar quem se deu melhor? Ter inglês fluente pode não significar tudo para você conseguir um cargo melhor ou se dar bem nele.

    Abraço a todos e continuem conosco!

    ResponderExcluir
  6. Leandro F. Weigmann20 de agosto de 2009 17:48

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  7. Leandro F. Weigmann20 de agosto de 2009 17:51

    Aline, o nosso próximo post vai ser exatamente sobre essas questões, da uma seguradinha que em breve vamos sanar as suas dúvidas. Obrigado pelos elogios e fique conosco!

    ResponderExcluir
  8. Entrei em contato com uma empresa que não trabalha mais com placement pq não querem se responsabilizar pela perda de vagas, por causa da crise. Falaram que as vagas variam demais e que geralmente eles mudam de vaga, de cargo e essa categoria é pra quem aceita o que vier. É verdade isso? Ou é mais seguro mesmo ir com emprego garantido?

    ResponderExcluir
  9. Anna, olha se é verdade eu não sei, até porque essas coisas variam de agência para agência e de sponsor para sponsor (vamos explicar em detalhes o que é o sponsor em um post) mas o que eu tenho certeza e te falo sem medo é: VÁ COM VAGA GARANTIDA DAQUI DO BRASIL. Não se arrisque agora nesse período tão conturbado de crise mundial que estamos vivenciando. Sair com medo e cheia de inseguranças daqui do brasil em seu primeiro intercâmbio não sei se vale a pena para você. Até mais!

    Leandro

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    parabéns aos criadores desse blog! Quando fiz o intercâmbio eu procurei algo como esse blog e não consegui achar, é uma ótima fonte de informação!
    Quero deixa o meu post para encorajar as pessoas que estão em dúvida sobre fazer o programa.
    Fiz o intercâmbio ano passado(no ápice da crise), e meu programa tinha tudo para dar errado! Meu emprego foi cancelado duas vezes, uma vez quando estava no Brasil e outra vez quando estava lá nos EUA!
    Realmente o início do programa foi conturbado, tive algumas discussões com o sponsor a respeito do cancelamento da minha job offer, mas como alguns males vem para o bem...
    Eu resolvi procurar emprego por conta própria! E para mostrar como emprego de base é tão fácil de achar, eu arrumei meu primeiro emprego na primeira porta em que bati! E para melhorar mais as coisas, eu tinha um salário que girava em torno de 15 dólares a hora, pois era um serviço em que lidava com público e por consequência ganhava tips(gorjetas)!
    Bom, foi a melhor experiência que tive na vida até agora! Aconselho a todos encarar esse desafio, pois além de todo aprendizado, o programa é muito divertido, repleto de situações em que você nunca viveu!
    Vá com a cara e coragem! Pois se você for determinado não tem como o intercâmbio dar errado! Só tem como melhorá-lo!
    "É nas situações mais difíceis que se encontram os maiores aprendizados"
    Abraços e Boa Sorte a Todos!

    ResponderExcluir
  11. anna,

    Concordo com a posição dos autores do Blog, ir sem emprego nessa temporada é furada! Na temporada passada houve diversos casos de alunos que ficaram vagando pelos EUA em busca de um emprego e depois de semanas gastando dinheiro, arrumaram as malas e voltaram para casa. Teve até reportagem no Jornal Nacional falando disso.

    Um abraço,

    Leandro Giglio

    ResponderExcluir
  12. leandro F. Weigmann21 de agosto de 2009 11:28

    Evandro, obrigado pela participação. em breve também estaremos criando uma série sobre depoimentos de ex-participantes e espero contar contigo. Abraço.

    Leandro

    ResponderExcluir
  13. Obrigada, Leandros IUAHUAIHAUIHAI (:

    Evandro, onde você trabalhou?

    ResponderExcluir
  14. oi Anna!
    eu trabalhei numa rede de fast food chamada Sonic!
    É uma das redes concorrentes ao mcdonalds!
    Lá trabalhei num cargo que chama carhope, no qual eu era uma espécie de "garçom de fast food"...
    Aqui no Brasil não existe algo do tipo, mas meu serviço meio que se resumia a levar os pedidos para o carro dos clientes! E os clientes optavam por comer dentro do carro(mto comum nos eua)! Era nesse relacionamento com os clientes em que ganhava tips! Se voce tiver a oportunidade de fechar um serviço com a possibilidade de tips, faça isso! Mesmo que o salário seja bem inferior, pois no meu caso o salário base era de U$ 6,50! Gorjetas lá são bem generosas, não se comparam ao Brasil.
    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Ah...
    Anna,

    O que o Leandro Giglio falou realmente é verídico, conheci muitas pessoas que tiveram seus empregos cancelados e ficaram sem emprego, esperando até que seu sponsor arrumasse o emprego prometido, inclusive tenho um amigo muito próximo que passou por essa situação difícil!
    Mas como muitos falam, esse intercâmbio quem faz é você! Se ficar quieto, esperando outras pessoas tomarem decisões por você, realmente o seu programa pode não ser tão especial quanto poderia!

    Att

    ResponderExcluir
  16. Evandro, brigadão (: No caso de isso acontecer, como eu devo me portar?
    Você trabalhava quantos dias na semana?
    Que impresa foi? Foi de independent?

    ResponderExcluir
  17. Ah, não foi de independent né? é que às vezes esqueço de comentários passados eiuheiuehiu

    ResponderExcluir
  18. oi Anna!
    entao... eu fui com a CI, e a minha sponsor foi a Alliance!
    Eu já fui com emprego certo, mas a crise atrapalhou bastante os planos por lá...e muitos intercâmbistas ficaram algum tempo sem emprego, inclusive eu que fiquei durante uma semana sem emprego!
    Você deve se portar de forma ativa, cobrando de seu sponsor o que te prometeram, e em caso de urgência procurar um emprego por conta própria após estar com o seu social security na mão, pois sem ele você não consegue emprego algum!
    A minha carga horária foi um pouco instável, mas a minha média ficou em torno de 40 horas semanais! E eu trabalhava cinco dias por semana, sendo que meus day offs nunca foram fixos!
    Mas no último mês eu trabalhei muuuito! Arrumei um second job, e trabalhava em torno de 80 horas por semana! Fiz isso porque optei por fazer uma grande viagem no fim de meu intercâmbio.
    bjos

    ResponderExcluir
  19. Entendi, evandro, obrigada pela ajuda. o security demora?
    qual foi seu second job?

    ResponderExcluir
  20. Oi Anna como vai?! Vamos abordar todas essas questões aqui no blog mais para frente no momento certo e com todos os detalhes possíveis. Entendo a sua ansiosidade, já passei por isso 2 vezes. Tenha um pouco de paciência que em breve estaremos postando tudo isso ok? Até mais.

    ResponderExcluir
  21. lá no consulado, é necessário tem um nível bom de inglês? ou mesmo nao tendo eles aprovam o meu visto normalmente? abraço

    ResponderExcluir
  22. Leandro F. Weigmann23 de agosto de 2009 01:01

    Jean, no consulado TODAS as entrevistas serão realizadas em inglês e se você não tiver o mínimo de entendimento pela língua a ponto de não entender a pessoa que está te entrevistando é bem provável de você não conseguir tirar o visto. Agora depende de muito dos entrevistadores, uns pegam mais leve, outros são mais detalhistas. Comece a pensar em aulas particulares de inglês se você estiver preocupado com essa questão, tenho certeza que elas vão te ajudar. Abraço!

    ResponderExcluir
  23. Oi Anna,
    Você participa da comunidade work and travel program no orkut?
    Lá tem várias informações, e além disso eu participo da comunidade, se quiser pode me add lá e te ajudarei no que for possível!
    É só procurar por Evandro Medeiros!
    Bjo

    ResponderExcluir
  24. Eu fiz o work experience essa temporada passada, e antes de ir eu tava estudando inglês a menos de 2 anos, fiz os 3 primeiros livros do wizard, e 3 meses de particular!! fui com inglês básico, você passar por algumas pequenas dificuldades, mas isso não é o problema!! Quando vc chegar lá, você vai ver que tem gente que nao entende nem ""Hello, how are you??""!!!
    Quando eu decidi fazer o intercambio, era abril do ano passado,fui fazer o teste escrito da inter, nao passei na primeira vez, tive que fazer outro, ai passei e na entrevista oral, fiquei com ingles 2 e 3!!!
    Mas dá pra se virar muito bem com o inglês, vc n terá os melhores empregos, mas tem bons empregos sem contato com o público!!!
    Sempre acontece de o teu supervisor pedir algo e você n entender, mas pedi pra explicar com calma, que eles te explicam, ai fica tudo bem!!! e provavelmente você não ficará isolado(a)!!!

    E na entrevista do consulado, eu tava muito muito nervoso, pq um pessoal antes de mim teve o visto negado pelo inglês, eu me apavorei!!! Mas na minha hora foi bem tranquilo!!!
    E ainda dá tempo, fazem aulas particulares ou em grupo, que dá pra dar uma avançada até a viagem!!!
    Não passei fome, trabalhei pra kct, juntei grana, comprei eletronicos, muita muita roupa, viajei, fiz NYC 3 dias, Vegas e Grand Canyon 3 dias, e ainda fiquei 3 semanas na casa do meu amigo em LA, e voltei com grana!!!

    ResponderExcluir
  25. Obrigado pela participação Willian, muito bom o seu depoimento! Abraços.

    ResponderExcluir